Seu currículo não significa nada quando se tem um portfólio para mostrar.

Quando trabalhamos como freelancer, o maior interesse de nossos clientes é em saber se temos ou não a capacidade de resolver os seus problemas.

O nosso portfólio é a comprovação – o histórico – de que temos a capacidade.

Nesse capitulo do Guia Freelancer quero te ajudar a organizar seu portfólio para que ele fique irresistível e te ajude a ganhar legitimidade no mercado.

A Importância do Portfólio

Um dos objetivos da jornada freelancer é sermos muito recomendados pelos nossos clientes. Afinal, assim temos um fluxo constante de clientes. No entanto, muitos dos potenciais clientes que chegam até nós ou que abordamos não estão 100% convictos de nossa capacidade.

Por isso, precisamos conversar e demonstrar nosso conhecimento e atitude para conseguir a oportunidade.

Outra situação que é possível acontecer é você estar numa disputa por uma oportunidade em uma empresa um pouco maior ou então em algum projeto governamental – como uma licitação -, então existe uma necessidade um pouco maior de termos algo para mostrar.

Em todas essas situações, o portfólio cumpre um papel super importante:

Deixar nosso histórico falar por nós.

Eu já estive em situações que o cliente claramente tinha várias opções e estava orçando um projeto com empresas e profissionais autônomos diferentes.

Nos casos que tive bons resultados foram aqueles que pude compor um portfólio adequado de experiências passadas com as expectativas dos meus clientes.

Como eu já fiz mais de 230 websites e trabalhei com mais de 500 projetos diferentes para clientes de tudo quanto é tipo, fazer uma boa seleção de poucos projetos altamente relevantes para o(a) potencial cliente é fundamental.

É muito melhor eu selecionar 3 ou 4 bons projetos na mesma linha do tipo de problema que esse potencial novo cliente tem do que o bombardear com dezenas de projetos que não vão criar um sentimento de identificação.

No final das contas, o ideal de um portfólio é que ele mostre ao lead (ou potencial cliente) que você fez para outros o que ele quer você faça para ele…e que o resultado ficou legal, naturalmente!

Como fazer um bom portfólio

Bons portfólios precisam de alguns itens importantes:

  • Os projetos em si
  • Estudos de caso
  • Resultados gerados

Também se beneficiam muito com:

  • Storytelling e/ou Objetividade (dependendo do caso)
  • Depoimentos

E algo que é fundamental, mas que é preciso deixar claro:

  • Não minta

Vou explorar cada um desses pontos abaixo.

Naturalmente, a criação de um portfólio é diferente para cada tipo de profissional freelancer e área. Então peço que leia tentando adaptar ao seu universo, mas também buscando inserir os conceitos. A variedade de profissionais freelancers é imensa, então é difícil ser específico nesse guia, mas se você quiser alguma dica mais específica, pode comentar nessa página que vai ser um prazer compreender melhor sobre sua situação.

Demonstração dos projetos no portfólio

Um portfólio é composto de projetos. É claro. Sejam peças de design, websites ou projetos de engenharia, são os trabalhos que já realizou no passado que precisam estar aqui.

Como aqui estamos falando de um guia para começar na vida freelancer, talvez você não tenha realizado muitos projetos como profissional autônoma(o), então temos duas opções:

  1. Utilizar de experiências e projetos que fizemos dentro de uma instituição ou empresa.
  2. Criar nossos próprios projetos pessoais.

No primeiro caso, é algo que até hoje eu uso de tempos em tempos quando existe um cliente que precisa de algo que bate com o que já fiz dentro de alguma empresa no passado. Por exemplo, quando trabalhei para uma startup da área de educação, fiz uma área de membros para os alunos do curso e ela ficou sensacional e funcionou bem para os milhares de alunos da empresa.

Então quando tem algum cliente que deseja um projeto similar eu costumo mostrar esse projeto, mesmo eu já tendo outros vários que foram criados por mim também como freelancer, mas que não são tão impactantes quanto esse.

Talvez você esteja começando na jornada como freelancer realizando o mesmo tipo de trabalho que já fazia em uma empresa, então essa é uma boa alternativa.

Porém, se não é o seu caso, algo que eu fiz muito no início da minha carreira e recomendo é criar seu próprio portfólio com projetos pessoais ou com projetos para familiares ou amigos.

Tenho um amigo que trabalha em um dos maiores estúdios de games do mundo e um dos fatores que ele mais fala que foi definidor para começar em sua jornada na indústria foi ter criado um portfólio bacana.

Me lembro dele criando vários projetos pessoais e adicionando no seu site-portfólio. No início eram apenas alguns, mas depois não só o número ficou impressionante mas também a qualidade.

Eu também fiz isso no início. Criei vários websites para mim e para pessoas próximas. Lembro de ter cobrado algo como R$ 200 para fazer um site inteiro e complexo para um amigo! No entanto, isso fez com que não só minhas habilidades melhorassem como eu tivesse projetos legais e reais no meu histórico.

A seleção

Como comentei acima, a seleção do tipo de projeto também é muito importante.

Imagine que você é tradutora e um novo potencial cliente deseja uma tradução de um artigo científico da área da biologia.

Se você mostrar um portfólio contendo traduções de romances e textos de blog de viagem, talvez o impacto não seja tão grande, mesmo que sejam muitos projetos e de ótima qualidade. Agora, se você tem alguns poucos projetos no seu portfólio de artigos científicos – mesmo que não sejam de biologia -, provavelmente a percepção da sua capacidade para realizar o projeto seja mais positiva.

Algo que eu sempre faço antes de mandar meus portfólio para clientes é perguntar sobre a área do projeto e, principalmente, qual é o objetivo do(a) cliente com esse projeto.

Qual é o problema que o(a) cliente tem que espera que você resolva?

Esse importante questionamento vai te dar a dica para selecionar em suas experiências passadas aquelas que mais se assemelham com a situação que seu cliente está no momento.

Inclusive, isso vale até para profissões que não costumam lidar com portfólio. Por exemplo, um massoterapeuta pode conversar com um cliente que está com uma dor específica e comentar que já resolveu um problema similar de outro cliente. Ou mesmo um veterinário que trabalha à domicílio pode afirmar para uma cliente que já atendeu casos similares com cachorros que estão com os mesmos sintomas descritos numa conversa inicial.

Estudos de caso

Dependendo da sua área de atuação, algo interessante para adicionar no seu portfólio (digital ou físico) é um estudo de caso.

Estudos de casos é como um portfólio mais longo, em que você adiciona um texto, um áudio ou um vídeo explicando um pouco mais sobre o projeto.

Aqui é uma ótima oportunidade para adicionar um certo ‘storytelling’ (história) para aproximar ainda mais a sua cliente.

Histórias facilitam a explicação, a atenção e a compreensão, então vale a pena.

Um formato interessante para um estudo de caso é:

  1. O cliente X estava com o problema Y
  2. Depois de entender o caso, sugeri a solução W
  3. A execução foi complexa, mas consegui entregar em Z dias o projeto
  4. O resultado foi ótimo e aumentou o faturamento da empresa

Basicamente:

  • Problema
  • Hipótese
  • Execução
  • Resultado

Aqui também, caso possível, é interessante adicionar um depoimento desse cliente, assim o estudo de caso fica ainda mais convincente e passa bastante credibilidade.

Agências de marketing adoram esse tipo de formato em seus websites, em especial as agências caras. Criam até produções em vídeos com os clientes para terem vídeos com depoimentos bem bonitos.

Você não precisa investir tanto assim. Basta um breve texto bem escrito com uma história interessante e um depoimento em texto.

Naturalmente, é preciso conversar com esse cliente para expor essas informações e também pedir um depoimento real.

Resultados gerados

Mesmo se não criar um estudo de caso, sugiro ter a referência de resultados em seus projetos. Afinal, o(a) lead está em busca de um determinado resultado e é isso que ele(a) quer ver no seu portfólio.

No meu caso, eu gosto muito de fazer a venda e mostrar meu portfólio em videoconferências. Eu gosto muito do formato de poder compartilhar minha tela e mostrar um determinado projeto que criei ali ‘ao vivo’.

E com isso fica fácil também de apresentar na minha fala algumas informações sobre os resultados.

“Sugeri essa alteração na funcionalidade e observamos um aumento da taxa de conversão de 10% nos últimos meses”.

Algo que, pela conversa, eu vou sacando os objetivos do(a) lead e consigo ajustar minha fala para já apresentar aquilo que mais vai de acordo com esses objetivos.

Estudos de Caso e Exemplos

Abaixo, vou descrever algumas situações que exemplificam esses conceitos acima.

Direto e claro

Há uns meses fiz uma proposta para uma loja online de uma empresa no exterior. Eles precisavam de uma mudança da plataforma que operavam e também de algumas integrações.

A apresentação enviada com a proposta seguia com uma sequência de informações que me ajudava na credibilidade e também na explanação do problema do cliente. Algo que mostra que eu realmente entendi os desafios que estão enfrentando e como sugiro que possam melhorar.

Essa proposta, então, foi enviada com alguns projetos que:

  • Também eram em língua inglesa
  • Eram de lojas online
  • Tinham um formato parecido

Super credibilidade

Quando o(a) lead não é tão experiente na nossa área ou não sabe muito bem o que deseja, fica difícil filtrar algum tipo de portfólio específico para mandar. Então algo que gosto de fazer é validar minha capacidade por uma ‘super credibilidade’, que nada mais é do que falar:

“Estou te mandando alguns exemplos, mas abaixo também estou mandando as informações dos mais de 200 projetos que já fizemos”.

Isto é, como esse lead provavelmente não saberá avaliar tanto a qualidade ou a efetividade dos projetos, só saber que fez um número grande de projetos e mostrar ali claramente já é ótimo.

Exercício

Como exercício para essa parte do guia a minha sugestão é você criar uma planilha com todos os projetos que já fez e os classificar de acordo com:

  • Categoria ou tipo do trabalho
  • Área ou nicho do projeto
  • Resultado
  • Depoimento
  • Estudo de caso
  • Imagens ou outras mídias
  • Texto descritivo

Se você quiser organizar melhor isso, sugiro utilizar a ferramenta Notion para fazer isso.

Essa planilha vai servir como um banco de dados de fácil acesso para você rapidamente conseguir criar propostas e montar seu portfólio para mostrar para clientes.

Em vez de ter que ficar sempre pensando e buscando informações espalhadas, você tem tudo centralizado em um só lugar para rapidamente copiar e colar, seja numa proposta formal ou numa conversa do WhatsApp.

Naturalmente, se você tem muitos projetos já, não faz sentido criar estudos de caso ou pedir depoimetos para todos, então escolha os melhores para fazer isso.

Ferramentas para Portfólio

O âmbito de ferramentas para montar seu portfólio é enorme, então vou dividir em algumas categorias:

Apresentação:

Online:

Organização:

Conclusão

Um bom portfólio vai te ajudar a ter sucesso como freelancer ou profissional autônomo. Então vale muito a pena ter uma atenção a esse item pois é uma maneira direta de conseguir credibilidade com potenciais clientes.

Próximo passo: Entrega do Trabalho

Clique aqui para ir para seu próximo passo, a Entrega do Trabalho.

Se você tiver dúvidas, sugestões, críticas ou apenas quer compartilhar seu momento, ficarei muito feliz com seu comentário abaixo.

Divirta-se!