O Alinhamento das suas prioridades, objetivos e princípios com suas ações

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Você já parou para pensar se o que faz no seu dia a dia está alinhado com os seus objetivos no curto, médio e longo prazo?

Está sempre conferindo se está avançando em todos seus projetos regularmente?

Se questiona se há coisas na sua rotina que não deveriam estar lá pois não estão alinhadas com seus princípios?

Pois eu já me vi nessa situação inúmeras vezes.

A velocidade do dia, as demandas do trabalho ou da casa e as rotinas mesmo sobressaem e acabamos entrando no modo “máquina que só quer terminas as tarefas”.

O resultado é que chega em momentos de reflexão, como final de ano, e nos deparamos com 365 dias que não necessariamente conseguimos compreender o que fizemos, não avançamos nas nossas últimas resoluções e novamente tentamos a sorte num novo ano.

Na busca por um pouco mais de controle nas áreas que podemos controlar (afinal tem certas coisas que realmente tem coisas que não controlamos), iniciei essa série de Como organizar sua vida com o Notion e esse é o segundo artigo.

Se você ainda não leu o primeiro artigo, sugiro pois dou uma geral sobre pensamento sistemático, algo que vamos precisar daqui pra frente.

Nesse artigo vamos passar por:

  • Definição de princípios
  • Definição dos pilares da sua vida

A visão geral de uma organização da vida

Pilares da vida

Para que nossas ações no dia a dia façam sentido, precisamos fazer com que exista um caminho conectado entre os pilares da nossa vida e essas ações.

Algumas definições do que quero dizer com cada etapa:

  • Princípios são os elementos que norteiam nossa compreensão de nós mesmos e do mundo ao nosso redor. Nossos valores, o que nos motiva e os propósitos.
  • Pilares representam todas as áreas que lidamos na nossa vida. Família, busca espiritual, trabalho, estudo, hobbies, etc.
  • Objetivos Conceituais são nossas buscas e objetivos com os quais nos identificamos intimamente e normalmente são mais abstratos. Aprender uma língua, ter um corpo forte, ser um bom pai, etc.
  • Objetivos Metrificados são versões mais segmentadas e objetivas dos nosso objetivos conceituais. São objetivos que podemos medir para entender se estamos avançando ou não e podemos acompanhar seu progresso. Aprender 1000 palavras da nova língua, correr uma maratona, criar 5 projetos com meu filho, etc. Esses objetivos devem ser fáceis de identificar se foram completos ou não e também devem ter uma data de término.
  • Projetos são…bom…projetos mesmo. Iniciativas que compreendem uma série de ações em sequência para serem completos.
  • Ações, para finalizar, são as tarefas que temos que marcar como feito ao longo dos dias.

Porém, para que tudo isso funcione de maneira alinhada, temos que passar pelo caminho:

  • Cada ação deve fazer parte de um projeto
  • Cada projeto tem que ter pelo menos uma ação agendada para ser realizada e, por sua vez, deve estar atrelado com um objetivo metrificado.
  • Cada objetivo metrificado deve ter uma data para que seja cumprido e também tem que estar conectado com um objetivo conceitual.
  • Cada objetivo conceitual, finalmente, deve estar relacionado com um pilar da vida
  • Se uma tarefa não conseguir caminhar por esse caminho significa que ela é uma tarefa que provavelmente não é importante para sua vida

Com uma visão assim, percebemos que há certas tarefas que nos propomos a fazer que não nos ajuda em nenhum pilar da vida. Simplesmente ocupam nosso precioso tempo.

Por exemplo, na minha lista há um tempo eu tinha as seguintes tarefas:

  • Fazer uma análise do filme X no facebook
  • Criar um panfleto para ajudar um cliente
  • Ler artigo sobre futuro dos e-commerces

Por mais que todas as ações possam ser interessantes ou ajudar em algum aspecto, elas não estavam mais conectadas a nenhum dos meus pilares. Eu não quero mais crescer meu facebook, ajudar esse determinado clientes não vai me ajudar a aprender nada e o meu impacto é mínimo pelo tempo que dispenderia e meu foco não está em aprender sobre e-commerces no momento.

Tirar tarefas assim e muitas vezes até tarefas mais complexas, quem sabe até projetos inteiros, porque não estão alinhados com quem somos nos livra tempo para focar no que importa.

Portanto, aqui o mais importante é entender que um caminho direto entre aquilo que gostaríamos de desenvolver na vida e nossas tarefas diárias é fundamental.

Um detalhe aqui que não mencionei é que nossos hábitos também estão completamente alinhados como suporte de nossos pilares. Hábitos são as atividades que fazemos todos os dias, quase que sem pensar.

Eles também devem estar conectados com nossos objetivos e pilares.

Assim como expliquei no primeiro artigo da série, muito dessa estrutura segue o sistema do August Bradley. Sugiro bastante que o acompanhe no YouTube para explorar mais o assunto.

Definindo Princípios

Para definir nossos princípios existem diversas maneiras. Se você já teve experiências com terapia, coach, livros de auto ajuda, experiências espirituais ou outras atividades que nos colocam em um estado introspectivo e analítico de nós mesmos, talvez essa atividade seja mais simples.

No entanto, entender aquilo que nos motiva, nossos valores e propósitos na vida não é nada fácil.

Na imagem acima dei alguns exemplos do que podemos considerar em cada bloco.

Para começar, gosto de ter uma definição mais global do nosso estado atual. Isto é, estamos em um momento introspectivo, expansivo, de foco na família, de atenção ao lado profissional, de estudo, etc.

E esse estado é manifestado através de que? Quais são os pontos que estamos mais atenciosos nesse momento? Uma atenção à família para compreender um novo momento, um foco na promoção da nova empresa ou quem sabe no desenvolvimento físico ou cura do corpo.

Em seguida, o que te motiva para acordar de manhã e agir? É o financeiro, é o amor e família, é a empolgação de aprender algo novo? Assim como no global, podem haver quantos pontos quiser, mas em geral o número não é muito grande pois aqui realmente queremos colocar aquilo que é muito importante.

O próximo item é o nosso propósito (ou nossos propósitos) que é como uma frase que representa aonde queremos chegar ou o que queremos experienciar na vida.

Essa(s) frase(s) não precisa ser algo escrito em pedra ou imutável, mas em geral tem a ver com lados bem profundos daquilo que queremos para nós e para o mundo através da nossa passagem por essa vida.

Finalmente, temos os nossos valores. Palavras que nos representam e facilmente nos definem. São determinações, sentimentos ou condutas de ação que tomamos intimamente como certas e queremos sempre ter elas em mente para pautar nossas ações, objetivos e relacionamentos.

Se você quiser, pode expandir essa lista para mais maneiras de se compreender.

Que tipo de legado quer deixar para o mundo? Quias as frases que representam seu modo de pensar? Como seria um dia ideal na sua vida? Quais são as regras para sua conduta e ação diária que não gostaria de quebrar?

Cada um aqui pode explorar sua compreensão de si mesmo da maneira que preferir, mas é importante ter isso muito claro para poder seguir.

Eu fiz um bom tempo de terapia, fiz coach, participei de experiências de transformação e motivação, li uns 20 livros de auto-ajuda, pratiquei meditação e outros para começar a tentar me compreender. Em alguns pontos eu realmente me compreendo nesse momento, mas ainda há muito que muda de tempos em tempos e que ainda nem explorei.

Digo isso porque entender nossos princípios é uma tarefa bem complexa. Escrever qualquer coisa que vem à mente e esquecer lá não vai ajudar muito, então considere como uma constante construção e aperfeiçoamento.

Minha sugestão é tomar um tempo isolado e refletir sobre as questões existenciais da vida:

  • Quem eu sou?
  • De onde eu vim?
  • Porque estou aqui?
  • O que das minhas ações é determinado pela minha própria vontade o que é influenciado por pressões sociais?
  • O que estou fazendo é realmente aquilo que eu gosto?
  • O que significa felicidade pra mim?
  • O que não gosto que façam comigo?
  • Etc…

Autoconhecimento é um buraco sem fim, pois sempre há mais para descobrir, mas é um caminho que acho importante todo mundo seguir pois quanto mais nos conhecemos, mais chance teremos de fazer coisas que nos tragam felicidade e realização.

Definindo os pilares da vida

Os pilares da vida representam todas as áreas que hoje compreendem nossas vidas.

Eu sei que é difícil identificar exatamente quais são as áreas da vida, então para ajudar vou listar algumas que em geral fazem parte da maior parte de nós:

  • Família
  • Saúde e Fitness
  • Estudo
  • Trabalho (na empresa ou nos seus próprios projetos e/ou empresa)
  • Espiritualidade e religião
  • Gestão pessoal
  • Gestão da casa
  • Hobbies

Identificar essas áreas é um bom começo para compreender o que compõe o dia. Em geral, todas as nossas tarefas acabam se relacionando com um desses pilares.

E nesse momento é legal refletir também se esses pilares realmente fazem sentido. Será que está gastando tempo com uma área da vida mais do que a outra? Tem alguma abandonada? Outra que gostaria que existisse mas não faz parte das suas rotinas?

Conclusão

Nesse artigo começamos a por a mão na massa e começar a organização. Ainda não mexemos com o Notion em si, mas isso virá em breve.

No próximo artigo veremos a definição de objetivos, lembrando que eles devem ser atrelados aos pilares.

Se nossas ações estão alinhadas com os pilares da vida e fazem sentido com os princípios que consideramos para nós, provavelmente estaremos vivendo cada dia mais próximos daquilo que nos traz felicidade e realização.

Divirta-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FAÇA PARTE DA MINHA LISTA DE E-MAILS

Toda semana envio reflexões e dicas para pessoas que estão no caminho para a autonomia profissional.

Novas ferramentas, dicas de livros, vídeos, podcasts e muito mais. Eu passo grande parte dos meus dias em busca dos melhores recursos e informações que ajudam freelancers e profissionais autônomos.

Quer uma vida mais autônoma?

Se inscreva na nossa newsletter para receber conteúdos importantes para o seu desenvolviemento profissional.