Minimalismo Digital

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O caminho para uma vida minimalista é muito bacana. Ter menos coisas, se importar com aquilo que realmente é essencial e buscar estar mais presente com a vida.

No entanto, o minimalismo como conceito e como estilo de vida não se restringe a objetos e questões materiais apenas. Mesmo que só diminuir as coisas que compramos pode nos fazer economizar mais, fazer bem ao meio ambiente e outros benefícios, ainda assim a paz interior precisa de mais.

Aí que entram os minimalismos digital, de relacionamentos e por aí vai.

Vale ressaltar que minimalismo não significa por si só pouco. Inclusive há muitas pessoas que estão preferindo o termo essencialismo já que indica melhor o que esse minimalismo significa.

É sermos conscientes e presentes para cada item que compramos, cada pessoa que queremos perto e cada aplicativo que queremos nos chamando a atenção.

Nesse artigo quero comentar um pouco sobre o minimalismo digital, que se refere, obviamente, a nossa interação com esse mundo virtual.

O problema

Já não é novidade que a maioria de nós passa tempo demais em nossos aparelhos eletrônicos. Passamos mais de 4h e meia por dia nos celulares.

Todo esse tempo gera uma série de problemas em nossos corpos e mentes.

Estava conversando com um tio que é professor universitário há muitos anos e já há um bom tempo ele pergunta aos alunos quanto tempo eles passam em seus aparelhos celulares com entretenimento e coloca essa informação em contraste com as dificuldades dos alunos de fazerem as matérias do curso.

A cada ano, mais tempo os alunos estão online consumindo entretenimento e mais reclamações aparecem com a carga horária das matérias. Se antes fazer 7 ou 8 matérias era algo que dava para fazer sem muitos problemas por semestre, agora está ficando cada vez mais difícil.

Mas é natural, o tempo que antes era de estudo, de socialização e de sono está sendo gasto rolando timelines.

Seguindo duas fontes curadas (links abaixo) Alguns dos principais problemas:

  • Insônia
  • Menos felicidade
  • Dificuldade de interpretar os outros e ter empatia
  • Vício
  • Dores nas costas
  • Dificuldade em nos relacionar com os outros

Fontes: Trello e Business Insider

Quanto mais o uso da tecnologia – ainda mais quando iniciado na infância – maiores as chances de ter alguns desses problemas.

Nos comunicamos online, fazemos compras online, estudamos online, trabalhamos online, jogamos online, assistimos filmes online, ouvimos música online, etc, etc.

Por mais que muito da tecnologia tenha possibilitado avanços muito positivos e importantes, parece que ainda não aprendemos a lidar com a tecnologia digital e com a internet ainda.

Eu não posso dizer que estou em um lugar muito distante disso. Afinal, sempre busquei concentrar tudo da minha vida digitalmente para poder viver como nômade digital e ser minimalista em posses materiais.

No entanto, só então percebi que há mais essas outras facetas do minimalismo.

Como adotar o minimalismo digital

Não surpreendentemente, a maneira de sermos minimalistas digitais passa pela redução do uso da tecnologia. Mas isso é só uma consequência pois o objetivo em si é sermos mais conscientes com o uso da tecnologia digital.

Antes de te falar as dicas, preciso comentar um pouco sobre essa mudança de pensamento.

O primeiro passo é realmente o reconhecimento de que essa exposição exacerbada é ruim para nós e que queremos mudar.

Sem essa vontade é muito difícil mudar os hábitos e transformar a forma como lidamos com esses vícios.

O segundo ponto é buscar fazer essa mudança com mais pessoas. Sozinhos vamos estar sempre conflitando com pessoas ao nosso redor que estão fazendo o oposto do nosso objetivo. Ter alguém para dividir essa jornada é muito positivo e vai aumentar as chances de conseguir.

Por fim, a última consideração prévia é preencher o tempo que vai ganhar com coisas interessantes e com auto cuidado. Isto é, ao liberar muito do tempo que hoje gastamos online, podemos utilizar esse tempo para sermos ainda mais presentes, curtir as pessoas ao nosso redor, estudar, dormir mais, fazer atividade física, etc.

Vamos então a algumas dicas interessantes.

Limpeza digital

Algo que é legal para começar é fazer uma limpeza de:

  • Aplicativos no celular
  • Softwares no computador
  • Emails na caixa
  • Itens no na área de trabalho
  • Jogos
  • Grupos de WhatsApp ou Telegram
  • Grupos de Facebook
  • Pessoas que segue no Instagram e outas redes sociais
  • Newsletters e outros e-mails que recebe
  • Etc

Pegue um dia e saia removendo tudo. Só essa limpeza já vai dar uma calma maior e um ânimo inicial grande para continuar.

Essa limpeza é bacana pois temos que lidar o tempo inteiro normalmente com um tanto de coisa que não nos interessa. No celular tem aquele monte de aplicativo que nem usamos, no Instagram tem aquele tanto de gente que não precisamos nem queremos acompanhar, no WhatsApp tem aquele tanto de grupo que só tem coisa inútil.

Me lembro uma vez que removi uns 1000 “amigos” do Facebook num certo dia. Foi tão interessante pois de fato só teve efeitos positivos. Afinal, não precisava de seguir um tanto de gente que, no fundo, não tinha nenhuma relação comigo mais.

Desligue notificações

Algo que fez uma diferença absurda pra mim foi desativar as notificações do celular.

De acordo com essa pesquisa, acessamos nossos celulares quase 100 vezes ao dia. É uma ansiedade para ver saber das notificações, das conversas e das interações que muitas pessoas realmente não conseguem ficar muito tempo longe de seus celulares.

Grande parte dessa ânsia vem porque recebemos as notificações.

O que eu sugiro faze é entrar nas configurações do seu aparelho e bloquear primeiro todas as notificações de todos os aplicativos. Talvez deixar no máximo coisas muito importantes como banco, algum alarme de saúde e coisas assim.

Só de fazer isso, você já vai notar que pegará menos no telefone.

E o legal é que aos poucos a ansiedade para usar o aparelho também vai diminuindo.

Estabeleça horários

Sabe quando eramos crianças e tínhamos horário para a TV? Pois é, a ideia aqui é a mesma. Se restringirmos os horários que podemos fazer determinadas ações online – em especial coisas relacionadas com entretenimento – conseguiremos nos policiar melhor.

É um pouco estranho nos restringirmos dessa maneira, mas se estamos comprometidos realmente, vamos conseguir estabelecer novos hábitos.

Em especial aqui eu sugiro não mexer com o celular antes de dormir e depois que acordar. Se possível, deixe o celular fora do quarto e se precisar de um despertador compre um baratinho simples.

Filtre as informações

Uma outra dica legal é sermos mais conscientes com as informações que consumimos.

Em um mundo em que é muito fácil apenas lermos o título de uma notícia e acharmos que já sabemos tudo, estamos apenas contribuindo para aumentar nossa ignorância.

Isso sem falar na quantidade de “fake news” que facilmente podemos achar que é verdade só porque está de acordo com o que gostaríamos ou esperamos de determinada pessoa ou situação.

Crie regras internas para você duvidar de tudo que chega por redes sociais e busque pesquisar diretamente nos canais de notícias que legitima as informações.

Há sim websites e jornais sérios que buscam mostrar – nem que seja um pouco – os vários lados de uma discussão e argumentos para que você tome suas decisões sobre o que apoiar.

Conclusão

Fazer a migração de uma vida inteira online para uma mais minimalista digitalmente é um desafio enorme. Digo até por experiência própria já que estou exatamente nesse processo.

Sabemos que o excesso digital é ruim para nós em todos os sentidos possíveis e não podemos deixar a preguiça ou ‘medo’ do tédio nos barrar.

O minimalismo digital traz essa perspectiva que é muito interessante e é mais um caminho em direção a uma vida com mais sentido.

Divirta-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FAÇA PARTE DA MINHA LISTA DE E-MAILS

Toda semana envio reflexões e dicas para pessoas que estão no caminho para a autonomia profissional.

Novas ferramentas, dicas de livros, vídeos, podcasts e muito mais. Eu passo grande parte dos meus dias em busca dos melhores recursos e informações que ajudam freelancers e profissionais autônomos.

Quer uma vida mais autônoma?

Se inscreva na nossa newsletter para receber conteúdos importantes para o seu desenvolviemento profissional.