Como se preparar para largar o emprego

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O sonho de muitas pessoas é simplesmente se demitir daquele trabalho chato e começar uma vida como profissional autônomo, freelancer ou empreendedor.

Se esse é seu caso, te entendo perfeitamente!

Nesse artigo quero te passar alguns pontos que precisa ter atenção para que essa mudança na vida seja ainda mais positiva, segura e tranquila.

Eu entendo também que nem todo mundo é um ou uma jovem de 20 anos, que não precisa pagar contas pois mora com os pais e não tem filhos. Isto é, eu sei que as mudanças na vida assim não são tão fáceis.

Querendo ou não, é muito mais simples mudarmos o curso da nossa vida profissional quando não temos tantas responsabilidades. No entanto, é sim possível em qualquer estágio da vida.

Além disso, depois de alguns anos trabalhando para uma determinada empresa, ou tipo de empresa, acabamos ficando acostumados com a ideia de segurança e até mesmo nossos avanços e promoções servem como incentivos mas nos mantermos ali.

“Mas eu já trabalho a 10 anos aqui, conquistei essas promoções e esses benefícios.”

Mas se você está aqui é porque, mesmo com tudo isso, não está satisfeito ou satisfeita.

É porque não quer trabalhar para outras pessoas. Não consegue temos para curtir a família e amigos. Não tem disposição para começar seus projetos pessoais. Ou até mesmo não está satisfeito com a remuneração e benefícios do seu emprego atual.

Por isso, espero te ajudar um pouco a pensar sobre esse momento.

1 – Entenda e organize suas finanças

O primeiro passo para uma mudança profissional é o entendimento e organização das suas finanças. Eu não sou o tipo de pessoa que se coloca em risco sem uma estrutura para me apoiar e não é o tipo de ação que incentivo.

No meu ver, precisamos ter uma noção muito precisa do que precisamos fazer e ganhar para viver a vida que desejamos.

Quando se tem um salário fixo caindo todo mês na conta, pode acabar ficando acomodado com a ideia e talvez não se pensa muito nos gastos. Na verdade, por não termos uma educação financeira na escola, poucos temos o conhecimento de como organizar de fato nosso dinheiro.

“Vivo de salário a salário.” Essa é uma frase que, mesmo que com outros termos e formas de dizer, é super comum. Lembro-me até de pessoas que não querem olhar para suas contas com medo do que vão encontrar lá. Aí ficam torcendo para que esteja tudo ok.

Minha proposta aqui é o contrário disso. Sugiro que você realmente entenda para onde estão indo os seus gastos e ganhos e crie orçamentos para sua vida.

Anotar os gastos

A primeira etapa é abrir uma planilha no seu computador e anotar tudo que gastou e ganhou nos últimos 3 meses para ter uma média. Preferencialmente, categorizar esses valores. Algumas ideias:

  • Ganhos
    • Salário
    • Extras
  • Alimentação
    • Supermercado
    • Restaurantes e lanches
  • Moradia
    • Luz
    • Telefone
    • Condomínio
    • IPTU
    • Aluguel
  • Transporte
    • Gasolina
    • Uber/Taxi
    • Manutenção e/ou conserto do carro
  • Lazer e compras
    • Passeios
    • Compras
    • Viagem
  • Economias
    • Poupança
    • Aposentadoria
    • Seguros
  • Outros

Criar orçamentos

Agora que já tem uma noção de quanto está ganhando e gastando, está na hora de criar orçamentos para cada categoria.

Existem duas descobertas comuns nessa etapa:

  • Estamos gastando mais do que ganhamos
  • Estamos gastando demais com algo que nem é tão importante

E é exatamente por isso que precisamos criar orçamentos para nossa vida. A partir do tanto que ganha, pode determinar os limites de gastos em cada área da vida por mês para que não ultrapasse os limites.

Se o limite de restaurante num mês é R$ 300, então se chegou no meio do mês e já gastou, deve se policiar para não ir em nenhum outro restaurante ou bar até o fim do mês.

Para acompanhar e criar orçamentos você pode fazer direto em uma planilha ou então usar aplicativos. Eu mesmo utilizo o Wallet App pois seu aplicativo é simples de usar.

Planejamento

Já com todo esse trabalho, está na hora de também adicionar nos seus orçamentos um valor para guardar todo mês. Mesmo que seja um valor pequeno, é importante economizar um pouquinho e ir juntando.

Esse montante será fundamental para te dar a segurança necessária na hora de fazer a mudança de vida e largar o emprego.

Quanto maior a folga financeira que tiver, mais tempo terá para alavancar sua nova profissão ou negócio.

Para cada tipo de mudança profissional, naturalmente uma quantidade de dinheiro e tempo serão necessários. Para freelancers, por exemplo, eu sugiro no mínimo 6 meses de seus gastos mínimos pagos em dinheiro guardado.

2 – A decisão de largar o emprego

O momento de tomar a decisão é super importante. Afinal, é agora que conversa com o chefe e negocia sua saída.

Antes de tomar qualquer decisão, no entanto, eu sugiro compartilhar com as pessoas ao seu redor suas ideias e motivações. Mas tome cuidado para falar apenas com as pessoas que desejam seu bem de verdade. Digo isso pois existem Amigos e amigos.

Amigos/Parentes com a letra maiúscula são aquelas pessoas que deixam de lado seus preconceitos e desejos para te ouvir. Te colocam no centro das atenções e buscam ver sua decisão através das suas motivações e desejos.

Essas pessoas, por causa dessa empatia, vão poder te ajudar a vislumbrar pontos cegos e ideias que você talvez não tivesse pensado. Ao mesmo tempo, provavelmente vão te incentivar ao entender que você não aguenta mais o seu trabalho tradicional.

Já os amigos/parentes são aqueles que te desanimam e te colocam para baixo. Acreditam que a visão de mundo deles é a única e melhor e vão falar para você não inventar moda. Fique longe desse tipo de pessoa, especialmente nesse momento.

Agora, vou comentar um pouco sobre algumas dúvidas mais comuns dessa etapa.

Benefícios são apenas dinheiro no final das contas

Se você tem um plano de saúde pela empresa, INSS, FGTS, livros de graça, academia e outros benefícios comuns em algumas instituições, talvez esteja um pouco inseguro(a) de perder isso.

No entanto, tudo isso acima pode ser convertido em Reais. Tudo você adquire com dinheiro. Então não precisamos olhar como necessariamente benefícios, mas sim pelo seu valor monetário. Isso significa que seu ‘salário’, no fundo, é um pouquinho maior do que simplesmente você recebe todo mês. O que também significa que você precisa colocar esses valores nas suas metas para sua nova fase.

Segurança é uma ilusão

A segurança que você talvez tenha no seu emprego tradicional é uma ilusão.

Artigo relacionado: Segurança – Série Desafios da Autonomia

Se você trabalha para o Governo como um(a) funcionário(a) público(a), talvez sim tenha um tanto mais de segurança que não será demitido(a). Porém, no setor privado essa não é uma garantia.

Na verdade, é muito pelo contrário. Qualquer crise econômica, qualquer problema interno ou até pelo simples fato de você não ser o tipo de pessoa que a empresa deseja você pode ser demitido(a).

Vejo inúmeras pessoas próximas que tiveram esses problemas. Além disso, conheço pessoas que tiveram salários atrasados e até mesmo foram alvos de preconceitos nas instituições que trabalhavam.

Esse tipo de situação é muito diferente quando assumimos nós mesmos a responsabilidade pelo nosso sucesso e sustento. Seja como freelancer, empreendedor(a) ou autônomo(a), você pode conquistar fontes de segurança financeira e pessoal de diversas outras maneiras.

Testar as águas

Naturalmente, para algumas mudanças da vida profissional não há necessidade de ir com tudo de uma vez. Pode ser que você consiga começar sua nova jornada enquanto tem ainda a segurança do trabalho tradicional.

Pode, inclusive, negociar trabalhar menos horas no seu trabalho e ter uma redução do valor que recebe para ficar meio período apenas e ter “o melhor dos dois mundos”.

Se você quer se tornar uma freelancer, pode começar a buscar clientes e fazer os trabalhos nas horas vagas. Já se quer empreender, pode iniciar seu negócio.

No entanto, é interessante lembrar que essa é apenas uma etapa. Afinal, provavelmente você ficará muito atarefada(o) e não é o tipo de estilo de vida que vai ser necessariamente melhor do que o seu trabalho tradicional. Provavelmente não vai solucionar seus problemas e nem te satisfazer profissionalmente.

3 – Começar!

Seja depois de testar as águas ou mesmo dando o pulo da fé e indo direto, em algum momento você vai se ver na jornada para seu novo momento profissional.

A minha sugestão aqui é focar no que realmente é importante e não nas burocracias.

Inciar um novo negócio muitas vezes pode parecer complicado. Tem que criar contratos, site, redes sociais, cartão, logo, abrir empresa, conta no banco, etc, etc.

Tudo isso é importante, mas você não precisa de nada disso no início. Você não precisa dar um nome pro seu negócio, você não precisa parecer super profissional e não precisa ter um website bacana.

Os esforços no início são para conquistar clientes e formas que vão alavancar financeiramente o seu negócio.

Isto é, ir em eventos para conhecer pessoas, divulgar o que você faz e até pedir recomendações para conhecidos. Conseguir os primeiros clientes e fazer o negócio andar é a prioridade. Depois você pode otimizar e melhorar tudo.

Você é o dono da sua jornada

O mais interessante da busca por uma vida fora dos padrões tradicionais em uma empresa ou governo é que você é o(a) protagonista da sua jornada.

Você quer um aumento? Pode cobrar mais caro pelos seus serviços. Você quer trabalhar menos? Pode se organizar financeiramente para não precisar gastar horas e mais horas com o trabalho. Quer viajar? Pode trabalhar remotamente por um tempo.

Você é um(a) gestor(a)!

O mais interessante também é ter a segurança e saber quando arriscar e quando voltar atrás. Inclusive, se na sua primeira tentativa não der certo e tiver que voltar para o mercado tradicional de trabalho, está tudo bem! Você pode se organizar novamente e tentar de outra maneira depois.

A ideia que sempre comento aqui no site sobre ter liberdade profissional é assumirmos a responsabilidade pelo nosso sucesso e agirmos de acordo com nossas vontades e possibilidades.

Largar o emprego e iniciar uma vida como profissional independente é certamente um caminho e é o que hoje considero como mais interessante.

E seja bem-vindo ou bem-vinda à turma que possui liberdade profissional.

Divirta-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FAÇA PARTE DA MINHA LISTA DE E-MAILS

Toda semana envio reflexões e dicas para pessoas que estão no caminho para a autonomia profissional.

Novas ferramentas, dicas de livros, vídeos, podcasts e muito mais. Eu passo grande parte dos meus dias em busca dos melhores recursos e informações que ajudam freelancers e profissionais autônomos.

Quer uma vida mais autônoma?

Se inscreva na nossa newsletter para receber conteúdos importantes para o seu desenvolviemento profissional.