Navegador Brave – Série Ferramentas da Autonomia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Você está acessando esse website por um navegador. Logo, se não já está usando o Brave, provavelmente:

  • Perde tempo assistindo publicidades
  • Tem sua privacidade violada
  • Fica esperando os sites carregarem

Digo isso não para assustar, mas para informar que Chrome, Firefox, Safari, Edge, Opera e muitos outros estão exatamente te proporcionando esse tipo de experiência.

Passei muitos anos da vida utilizando o Chrome como o meu principal navegador no PC. Acreditava que era muito bom.

Tentei alguns outros browsers para ver se tinham algo mais interessante – tipo o Vivaldi que você pode customizar ele inteiro -, mas só realmente mudei quando conheci o Brave.

Inclusive, ele é feito em cima do próprio Chrome, de modo que grande parte das extensões e outras coisas legais já fazem parte dele nativamente.

A diferença é que você terá uma experiência muito mais agradável e rápida sem publicidades e trackers.

Nesse artigo quero te apresentar esse navegador que, naturalmente, é 100% gratuito.

Se você ainda não conhece essa série aqui no blog, eu conto um pouco das ferramentas que hoje utilizo para trabalhar e me organizar como profissional autônomo. Algumas ferramentas que já analisei:

  • Calendly – Marcação de reuniões sem estresse
  • Focusmate – Encontre um parceiro para trabalhar junto online
  • Toggl – Faça a melhor gestão do seu tempo
  • Notion – Organize sua vida digital em um lugar só

O navegador Brave

O criador da linguagem JavaScript, utilizada praticamente por todos os sites hoje para fazer suas funcionalidades legais, é o mesmo criador desse navegador.

O seu intuito principal é te colocar no controle do que você disponibiliza para os sites verem sobre você e suas informações.

Ao bloquear todas as publicidades, trackers e outras formas que sites usam para coletar informações sobre você, há uma melhora imensa na performance dos próprios sites.

Para carregar publicidades e scripts de rastreamento, temos que esperar mais – além de muitas vezes ter que assistir publicidades antes de vídeos.

No YouTube, por exemplo, você pode acessar sem precisar ver propagandas. Veja quantos trackers são bloqueados a cada vez que carregamos a página:

trackers bloquados no YouTube pelo Brave

Inclusive, na sua página inicial, ele te mostra quantos scripts e trackers ele já bloqueou desde que começou a usar e quanto tempo já economizou da sua vida – tempo esse que ficaria esperando ou assistindo publicidade.

Eu reinstalei ele há mais ou menos 2 meses e olha só já o tanto:

tempo economizado pelo navegador brave

Quase 40 minutos! Isso em pouco tempo já o utilizando novamente.

Nosso único recurso que nunca volta nessa vida é o tempo. E passamos horas por ano simplesmente aguardando ou vendo publicidade. São 5 segundos a cada videozinho, uma demora aqui e ali. Mas somados, é tempo demais.

Como o Brave funciona

O Brave é um Google Chrome melhorado.

Por trás, ele tem as mesmas funcionalidades e ferramentas que o Chrome possui. Então você pode adicionar as suas extensões legais que sempre usa, favoritos, atalhos, etc.

No entanto, ele conta com uma casca bem mais simples e poderosa.

A primeira parte dessa casca é o Brave Shield (Escudo do Brave). É o que lhe permite controlar exatamente o que você libera para um site manipular e pegar de informações no seu computador e uso.

Frequentemente, sites observam cada um dos nossos movimentos, gravam nossas ações e usam isso para nos apresentar “melhores” conteúdos em forma de “melhores” publicidades.

No entanto, todo esse dado que geramos para essas corporações, como Google, Facebook e LinkedIn, vão apenas aumentar a quantidade de tempo que temos que esperar e a quantidade de megabytes que vamos ter que carregar em nossos aparelhos.

Quando o Brave bloqueia tudo isso, os sites abrem muito mais rápidos.

Outras funcionalidades

Não vou entrar em detalhes naquilo que todo navegador tem, mas quero aprofundar em algumas coisas mais únicas e específicas

O Brave tem um sistema de Rewards (recompensas) em sua própria criptomoeda, o BAT.

Quanto mais você acessa um determinado site que esteja cadastrado no Brave como um criador de conteúdo, como o da Iglu, você gera BATs para esses criadores.

Isto é, em vez de ter que ficar vendo publicidade espalhada aqui pelo site, você, com sua atenção, contribui para os criadores de conteúdos.

É um sistema bem interessante.

Outra coisa bacana do Brave é a possibilidade de usar uma janela anônima com o Tor. Para quem não conhece, a rede Tor é uma forma de conectar à internet anonimamente.

Você pode acessar os sites sem que eles consigam identificar de onde você está acessando. Inclusive, é o portão de entrada para deep web. Normalmente, para ter acesso ao Tor, você precisa baixar o próprio navegador ‘fulero’ do Tor, mas agora pode fazer isso diretamente do Brave.

Conclusão

Atualmente é muito difícil não recomendar o navegador Brave para outras pessoas pois é o único que entrega velocidade e privacidade num pacote bacana e fácil de usar.

Não consigo pensar hoje em motivos para continuar usando o Chrome ou outros navegadores.

Você já conhecia o Brave? O que achou dessa recomendação? Me conta nos comentários.

Divirta-se!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FAÇA PARTE DA MINHA LISTA DE E-MAILS

Toda semana envio reflexões e dicas para pessoas que estão no caminho para a autonomia profissional.

Novas ferramentas, dicas de livros, vídeos, podcasts e muito mais. Eu passo grande parte dos meus dias em busca dos melhores recursos e informações que ajudam freelancers e profissionais autônomos.

Quer uma vida mais autônoma?

Se inscreva na nossa newsletter para receber conteúdos importantes para o seu desenvolviemento profissional.